Desde sexta eu não saio de casa. É estranho que isso aconteça, mas não é raro. Desconfio que uma vez por mês eu entre nesse estágio de hibernação e letargia non-stop. Sexta eu não saí de cansada que estava. Ontem, porque fiquei o dia todo esperando uma pessoa, que acabou não vindo. E depois a noite, após passar um dia todo na cama, sair dela às 10 e me locomover até Dupont Circle me parecia esforço em excesso por uma causa não tão válida. Hoje acordei extremamente tarde e passei o dia fazendo nada, além de escutar música e ter conversas eventuais, e não empolgantes, no msn.

Assim, preciso sair de casa. Agora.

Meu destino será pegar o metrô (metrô, meu amado metrô) e ir pr China Town… ir no cinema. Só.

Drops

Algumas coisinhas

assim, soltas e dispersas, mesmo.

Sumi, né?

Mas é sempre assim, sazonal.

O que não faz sentido aqui são as estações mesmo. Ou é o aquecimento global e as mudanças climáticas realmente tomando conta de Washington. O outono começou e a unica coisa que acontece pra ambientação são as folhas caindo das árvores. Porque o calor é de lascar. Isso porque há uma semana fazia um frio congelante! Sem sentidooo! Mas ao menos eu já gastei fortunas com roupas e agora tenho casacos pra usar na hora que o frio, e o outono, realmente apertarem!

———————————————————————————-

Todos os dias eu estava indo dormir super tarde, porque ficava até tarde na internet. Ou era conversanco com alguém, ou era jogando alguma coisa, lendo algum artigo, fuçando o orkut mesmo. Todos os dias custava pra acordar… e não era raro eu chegar pra mais de uma hora atrasada no trabalho. Castigo divino, ou simples intervenção, a fonte de energia do meu computador quebrou. É, aquele convertor, adaptador, o que seja… e claro que a bateria já tá toda descarregada. Encomendei outra, mas isso significa uma semana, todinha, sem internet em casa. Não é que é possível? É até mais produtivo! Eu leio, arrumo o quarto, me organizo, escrevo carta, um sucesso! :)

Mas também, estou evitando ir pra casa imediatamente depois do trabalho, pra diminuir as minhas horas de solidão-dão-dão.

—————————————————————————-

Semana passada chegou meu primeiro cheque! Que delícia, ver aquele pedaço de papel, que signfica tanto dinheiro, no seu nome!!! :)

Troquei nessa semana e agora, pela primeira vez, não preciso sacar dinheiro dos meus pais pra me manter. Muito bom!!!

Só que de tanto falar que ia tirar foto do cheque e emoldurar (a foto), nem fiz. Bom que pareço menos patética.

————————————————————————–

Que delícia é começar o dia ouvindo a voz minha mãe!

ps: essa história de entregarem as flores no dia errado e depois voltarem pra buscar as flores, prometendo entregar-las nos dia certo… É BIZARRA! Dessas pra contar no bar e todo mundo morrer de rir! :)

Com que roupa eu vou?

Minha mãe passou anos me ensinando que em matéria de malas, menos é mais. Não adianta levar uma mala cheia de roupas se você não vai usar outras. Opções, em viagens, só complicam a vida. Melhor uma mala bem feita, compacta, completa, do que um sapato pra cada roupa, duas opções de blusa pra cada calça e um casaquinho pra caso faça frio… na praia.

Bem, eu aprendi. Quando arrumei minha mala para aqui, fui extremamente compacta. Escolhi somente roupas práticas, dei preferências às de trabalho, já que vinha… trabalhar. E vim pra estação, que no momento era… verão.

Bem, me pediram pra ficar mais. Fiquei. E agora é outono.

Minhas roupas, adequadas (ou as vezes não, segundo minha chefe), pra um calor de quarenta graus, se mostram extremamente não agasalhadas o suficiente para os presentes

“Washington, Distrito de Colúmbia, Estados Unidos Da América Conforme relatório de Reagan Nat Arpt, VA. Segunda-feira, 17 de Setembro de 2007 09:52 ET (Segunda-feira, 13:52 GMT)
17°C
Parcial. nublado

Sensação de 17°C
Umidade:
60%”

17ºC. Brrrr.

Passei uns 30 minutos dessa manhã tentando bolar uma roupa de trabalho que suportasse o frio (que eu sei que não é tanto, mas lembre-se que a unica blusa de frio que tenho é uma jaqueta jeans) e cheguei a colocar 3 blusas, sendo nenhuma de frio, debaixo de um casaquinho.

Ridículo.

Para a minha sorte, lembrei que trouxe um ternino, completo… e vesti.

Espero que volte a esquentar. Eu até sei que vai. Mas se já não esquentar amanhã, tô perdida. Vou ter que usar a opção 3 blusas e casaquinho.

Bye bye America

As malas já estão prontas. É incrível, mas parece que eu tenho menos coisa agora do que quando cheguei. Talvez seja porque dividi em duas malas… heheheh.

É foda olhar pra esse quarto vazio. É foda olhar pra essa rua em que eu morava. Em uns poucos minutos meu táxi chega e me leva pro aeroporto. E aí.. bye bye América.

Ontem eu saí com as pessoas pra me despedir. Tive muita sorte aqui, muito mesmo, porque me sinto bem. Agora acabou. Tudo o que é bom acaba. Fim dos risos, fim das amizades, fim das salsas, fim do MOAS…

——————————————————————————

Tá. Eu nem tô indo pro aeroporto nem nada disso. Acho que se eu fosse mesmo, o post acima era mais emocional. Mais 3 meses de Washington, here I go. Mas era pra eu ir embora hoje. E na verdade, por mais que eu saiba que ir embora será super difícil, eu tenho saudades de gente que não está aqui.

A vida é mesmo um dilema. >.<

Bacharel…

Sabe que quando você passa no vestibular o momento que mais se visualiza é o da próxima formatura, né?
Canudo na mão, vestindo beca… pompas e tals.
Bem, eu não tive isso. O mais perto que eu cheguei da minha própria formatura foi… tirar fotos pro convite. Porque nem entregar convite eu entreguei (porque como é que você convida alguém para algo em que você não estará… presente?).
Defendi a monografia na quinta à noite, fiz minha última prova na sexta (e sabe que nem me toquei da nota?), no sábado me despedi de algumas pessoas, no domingo fiz a mala e segunda passei o dia no aeroporto e voando. Terça estava aqui.
Ufa.
Isso não me deu nenhuma vírgula de comemoração de formatura. Não recebi parabéns, não distribuí os milhares de convitinhos que estão na gaveta do meu quarto… na-da.
A minha esperança era voltar daqui, colar grau na surdina, “às segunda feiras, 11:00 horas, tem uma solenidade de colação de grau no CRA”… e tals.
Mas nem isso. Acontece que pra assinar meu contrato, preciso do meu diploma. E pra ter meu diploma… preciso colar grau. Conforme uns posts abaixo, pode ser por procuração, desde que reconhecida em cartório.
Semana passada, entre vindas e idas ao Consulado Brasileiro em Washington… após gastar uma fortuna no processo todo * segue lista abaixo, mandei a procuração pra minha mãe, que está em vias de colar grau pra mim.
Assim, muito provavelmente, segunda que vem, aproximadamente ao meio dia, hora de Brasília, eu serei uma pessoa bacharel em Relações Internacionais. Agora terei que enfrentar o desafio de “como nominar minha profissão nos formulários”.. heheheh.
Aceito os parabéns. :)

eu, obviamente, não sou essa. mesmo porque, sou bem mais bonita, heim? ->

*
Metrô da minha casa até o trabalho: $2,15
Táxi do trabalho até a embaixada: $12,00
Procuração: $20,oo
Volta: $0 – eu não tinha dinheiro pra voltar e tive que vir a pé… hahahaha.
Metrô da minha casa até Dupont Circle: $1,35
Táxi de Dupont até a Embaixada: $9,00
Táxi da Embaixada até o correio: $9,00
Envio expresso e urgente do documento: $52,00
Ônibus até Georgetown: $1,50
Metrô até a minha casa: $1,35
Preço da brincadeira: $107,35
Resultado: saiu mais barato que um jantar de formatura. (y)