No need for me to wait

Daqui a algumas horas, vou pegar o mesmo ônibus que já peguei tantas vezes nesse ano. Vou fazer uma viagem cujo caminho já conheço bem e ir para uma cidade que me espera em um futuro, prometo, prometo. Agora vou por três dias, que sei lá porque me parece muito. Distorções do destino.

Dessa vez me esperam lá duas meninas de olhos azuis bonitos e sorrisos felizes, que me aguardam como se eu fosse a pessoa mais importante do mundo inteiro, o que faz mais legal ainda ir. Eu vou matar as saudades de quem mais sinto falta e ser eu mesma com quem mais me entende, o que faz mais mágico ainda esses dias fora de BH.

Há uma semana  eu pensei em nem ir, por birrinha ou motivos sérios, entende-se lá como queira. Agora eu tenho certeza absoluta que deveria estar indo e estou convicta que daqui até pra depois do ano novo eu começo uma felicidade absurda, dessa de deixar inveja e fazer todo mundo esquecer que eu já me achei triste um dia desses. Triste? Eu? Com um sorriso desses na cara e motivos imediatos para rir? Não mesmo.

Pode nem acontecer o que eu quero, mas como eu não sei exatamente o que eu quero, eu vou pegar o abraço pelo abraço, o beijo pelo beijo e o não, bom,  o não eu troco pelo sim. Se enganando a gente vai levando.

Saudades é bom porque pode matar.
Vontades são boas quando elas se saciam rápido.

A vida acontece. Por que eu me esqueço disso às vezes?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s