You don’t seem real at all

A primeira coisa que ele me perguntou, ever, foi se me decepcionou. Nunca vou esquecer isso: então, Alice, te decepcionei? Depois achava que ele não me decepcionaria jamais, já que a coisa foi crescendo sem proporção. Ai atingiu um ótimo de Pareto meio bizarro, mas que foi insustentável. Não sentir era insustentável. Não lhe dizer foi insustentável. E depois daí, me decepcionou um pouco a todos os dias. Sei lá, minha maneira de lidar com a rejeição. Um dia eu disse que se terminasse com ele, diria que a culpa foi toda dele. A culpa é toda dele.

Então fiz um gráfico pra dizer como me sentia. Pra lembrar-lo que estava dizendo as palavras erradas e que na verdade, apesar de tudo, ele não queria me machucar. Era só lembra-lo que ele não deveria não me machucar. Nem é me iludir, é só não me machucar. Um gráfico.

Não adiantou. Burrinho, não sabe ler gráficos. E nem fazer. Fez um gráfico pra mim e escreveu um sei lá o que em japonês.

Perguntei o que era. Respondeu que era luz.

No gráfico de decepção dele eu sou luz.

E é por isso que apesar de tudo errado, apesar das coisas mais angustiantes, apesar de tudo que deveria me deixar claro que seguir é mais indicado que continuar…

Por isso que depois de cada “acabou” meu, vem um “mentira. Não acabou não.”

Por que eu gosto do que não existe.

icantsayhowifeel

Muito amor

Para os grandes, eu penso. E viro a cabeça pra pensar em outra coisa. É mais feliz gostar, amar é pra quem pode. Mas você ou a vida ou sei lá. Insiste. E então chega enorme. E só me resta rir que nem quando vejo um bebê muito pequeno e lindo. Você ri. Vai fazer o quê? É o milagre maravilhoso da vida e eu ficando brega e cheia de medo e cheia de vontade de te contar tantas coisas e nem sei se você gosta de ouvir meus atropelos. Muito amor. E então fico querendo não trair a beleza. Com você sinto a fidelidade de ser tranquila. Um pacto de paz com o mundo. Pra não me afastar de você quando estou longe. E é impossível então que os martelos do apartamento de cima sejam realmente martelos. E é impossível que as chatices do dia sejam realmente sem solução. E os outros caras, aviso, olha, é amor. É amor. Ainda que eu quisesse, não consigo mais nem um centímetro pra você. Desculpa. O amor é terrivelmente fiel. Porque ele ocupa coisas nossas que nem existem nos sentidos conhecidos. É como tomar água morna depois de ter engolido um filtro inteiro de água geladinha. Ninguém nem pensa nisso. Muito amor. De um jeito que era mesmo o que eu achava que existia. E é orgânico dentro da gente ainda que vendo de fora não pareça caber. O corpo dá um jeito. Minha casca reclama mas incha. Tudo faz drama dentro de mim, ainda que nada seja realmente de surpresa. Sentir isso era o casaco de frio que sempre carreguei no carro. Cansado, abandonado, amassado, sujo, velho. Mas, de repente, tudo isso desistente tem serventia e a vida te abraça. O guarda-chuva do porta-malas. A bolsa falsa do assalto que minha mãe mandava eu ter embaixo do banco do passageiro. Sentir isso é os trocos que você guarda pra emergência. Amar grande é gastar reservas e ainda assim ter coragem pra dar o que não se tem. Amar grande é ter vertigem no chão mas sentir um chamado pra voar. Amar grande é essa fome enjoada ou esse enjôo faminto. É o soco do bem na barriga. É mostrar os dentes pra se defender mas acaba em sorriso. É o sal que carrego no fundo falso da bolsa pra quando eu não aguentar a vida. É o açúcar que carrego junto. É tudo que pode sair do controle. É meu corpo caindo. E as almofadas de várias cores pra me dizer que pode dar certo. É o desespero aconchegante. (Tati Bernardi – as always)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s