E não ter mais pra onde ir

– Feito pra mim, bom pra você. Deixa mudar e confundir!
– Deixa de lado o que se diz. Tem no mercado, é só pedir!…
– Me faz chorar… e é feito pra rir.

Anúncios

She’s so glad, she’s telling all the world

Poucas pessoas são perfeitas sem tirar e nem pôr nada. Aliás, dúvido muito que ele seja assim irretocável, mas me parece. Se não é perfeito, ao menos feito pra mim, passa perto. Coincidimos em gostos, dos absolutos aos mínimos, de uma maneira impressionante. É doce, querido, inteligente, focado, sonhador, tudo na maneira exata. É meu amigo na quantidade certa, bem no tanto que lhe cabe ser. Me escuta, me entende e o mais importante, me adora. E é bonito como só ele pode ser, por dentro e por fora.

Só ele me ligaria às oito e meia da noite me chamando pra ver um jogo de futebol do clube que mais amo e tendo minha companhia como essencial. Só ele me pegaria em casa e me deixaria aqui, independente da volta. Só ele discutiria futebol comigo, me levando a sério, compartilhando a paixão e entre os comentários de “que campo horroroso” e “o Atlético precisa de um goleiro que preste”, ouve minhas confissões como se fossem essenciais e inestimáveis. Só ele. Só ele entende bem a graça de berrar uma vitória sofrida e sair por ai gritando “AI, COMO É BOM SER ATLETICANO”.

É de uma infelicidade tremenda que o meu homem-mais-que perfeito goste de caras também. Mas é de uma alegria inconcebível ter ele na minha vida. =)

Criando uma cultura

“Teria sido melhor se voltasses à mesma hora – disse a raposa. – Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz! Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar meu coração… É preciso que haja um ritual.”

(O Pequeno Princípe)

Meu coração tá batendo como quem diz “não tem jeito”

Diz uma pesquisa ai qualquer (todos os dias saem pesquisas por ai quaisqueres) que um homem leva 8,2 segundos para se apaixonar. A balela é mais ou menos assim, eles passaram esse tempo olhando para as moças bonitas e metade do tempo olhando para as menos favorecidas pela natureza. Já nas mulheres não se percebeu nenhuma diferença entre as olhadas para os mais gatinhos e os menos bonitinhos. A razão, segundo os tais cientistas, é que “os homens se empenham em estratégias de união mais evidentes e proativas, enquanto as mulheres se concentram em estratégias mais ocultas e cautelosas”.

Balela, balela, balela. Eu me apaixono em um segundo só, mas leva beeeem mais de 8,4 segundo… e nesse processo não tem nada de oculto e cauteloso.

I´m singing in the rain

Alice vai pra frente da sala e começa a cantar em alto e bom som uma canção, sem ligar pro seu desafino ou de quão ridícula possa parecer:

YOU ARE MY SUNSHINE
MY ONLY SUNSHINE
YOU MAKE ME HAPPY
WHEN SKIES ARE GREY
YOU´LL NEVER KNOW, DEAR
HOW MUCH I LOVE YOU
PLEASE DON´T TAKE MY SUNSHINE AWAY.

Pesquisas demonstram que os alunos passaram dramaticamente a gostar mais da Alice depois disso. O mico reforça o laço. =P

Vem pra me tirar o escuro e a sensação de que o inferno é por aqui.

acho que quando eu escrevo pouco é porque não tenho vontade de sair por ai, gritando e berrando, a quatro cantos, que não entendo nada ou/e que já não caibo dentro de mim. Venho aqui quando não dá mais pra dividir com ninguém, ou não dá pra dividir com ninguém, então esse blog acaba refletindo a minha parte mais perdida, mais desencontrada.

Ai tá tudo bem paz, quando menos eu espero e “Pessoas se aproximam e mexem com suas certezas. Isso renova até a sua pele!”.

Heim?

Tem lugar pra mim?

Prezados

Meu nome é Alice e tenho 24 anos. Sim, sim, quase 25. Ou seja, está passando da hora de eu ter um emprego bacaninha e de verdade. Não é que eu já não tenha tido um emprego assim, eu tive, lá nos Estados Unidos, até. Mas isso era no tempo em que eu era futuro da nação, sendo que ser futuro da nação não era exatamente o meu futuro. E isso tudo tendo menos de dois anos de formada, ok?

No meu antigo emprego eu tive a possibilidade de descobrir exatamente o que eu não queria da minha vida e era aquilo. A chefe louca, a distância de casa, a língua, essas coisas todas fizeram diferença, mas eu só voltei mesmo porque não vi perspectiva ali. Meu futuro não era no meio daquela burocracia. E é por isso que você deve me contratar: eu sou prática. E rápida. Prezo pela eficiência. E sei o que eu quero. Eu quero trabalhar, fazer o melhor serviço possível, ser reconhecida por ele e crescer em conjunto com a empresa.

Eu era uma consultora de um programa que lidava com mais de 1000 pessoas em toda a América. Trabalho bem com networks, sei fazer boa gestão de informações e, sinceramente, mando bem em análises de cenário internacional. Tenho experiência em lídar com diplomatas, embaixadores e até ministros.

Sou fluente em inglês e espanhol, de verdade, com experiência de vivência nas duas línguas. Sou responsável e muito amigável. Tenho valores claros e isso é bom. É ótimo, entendeu?

Desde sempre tenho buscado ser uma pessoa dinâmica e flexível, visando ter uma formação ampla que conjugue teoria e prática. Durante a universidade fiz uma pá de pesquisa. Conheço bem a América Latina. Sou excelente em lidar com outras culturas.

Possuo disponibilidade para transferência de cidade e também, de país. Vou pra China se o emprego for legal. Vou pro Acre. Sérião. E quero estudar mais. Faço pós, MBA, mestrado, o que for necessário para aumentar minha capacidade de desempenhar bem minha função.

Estou à disposição para uma entrevista pessoal e, desde já, reitero minha enorme vontade de ter um emprego de verdade que não consista em dar aulinhas de inglês. Não me leve a mal. ADORO dar aula de inglês e espanhol. ADORO ensinar, ME SINTO ÚTIL. Mas vamos combinar que estudar tanto assim, viajar esse monte e acabar ensinando o “verb to be” não estava nos meus planos e nem nos sonhos da mamãe.

Bom, um beijo e me liga.
Alice