So cheap and juicy, tangerines…

e eu falo, falo, falo, falo. falo de todas as coisas do mundo, falo exatamente sobre o que eu quero falar. sem medo de me expor, sem medo de parecer mais ou menos. ele me ouve! me ouve! me leva a sério e conversa mesmo. horas. horas. não cansa. a gente fala de futebol, mesmo. e ele diz “nossa, deve ser foda ter uma namorada que gosta tanto de futebol”. sério? quer casar comigo? eu caso! agora! daí eu falo da fachada do prédio, e de viagem, e de emprego e de plano e de medo. e ele escuta. e conversa. e promete que me liga. promete que a gente se fala. promete que vai ao mineirão comigo se eu for com ele!

e ele é mais novo e eu tinha ME prometido não fazer mais isso, mas sabe, fazer o quê se a minha sina é exatamente essa?

dos bad timings, o maior. ele viaja hoje, eu viajo hoje, ele volta em um mês e lembra? eu pretendo mudar de cidade.

enfim. que noite de segunda-feira mais bonitinha.

Anúncios

And the sea is just a wetter version of the skies

Frio 017olding Chair – Regina Spektor

Come and open up your folding chair next to me
My feet are buried in the sand and there’s a breeze
There’s a shadow, you can’t see my eyes
And the sea is just a wetter version of the skies

Let’s get a silver bullet trailer and have a baby boy
I’ll safety-pin his clothes all cool and you’ll grafitti up his toys
I’ve got a perfect body, though sometimes I forget
I’ve got a perfect body cause my eyelashes catch my sweat
Yes, they do, they do…

Now I’ve been sitting on this abandoned beach for years
Waiting for the salty water to cover up my ears
But every time the tide come in to take me home
I get scared, and I’m sitting here alone
Dreaming of the dolphin song…

Maybe one day you will understand
I don’t want nothing from you but to sweetly hold your hand
Till that day just please don’t be so down
Don’t make frowns, you silly clown

Just come and open up your folding chair next to me
My feet are buried in the sand and there’s a breeze
There’s a shadow, you can’t see my eyes
And the waves are just a frothier version of the skies

There’s a shadow, you can’t see my eyes…

I’ll play the victim and I’ll also be the bad guy

– Menina, de onde você tirou tanto medo? Por quê tanta negatividade? De antes pra agora, mudou o que?

Não mudou nada, essa é a verdade. Eu só acordei achando que ia dar tudo errado e sentindo muita preguiça de ter que abrir a porta, sair pelo mundo só e toda corajosa. Pra mim, o mundo vai me esnobar, as coisas vão ser muito mais difíceis do que jamais foram, eu sou incapaz e tudo vai ser uma sequência grande e exaustiva de nadas-para-fazer. De onde tirei isso? Não sei. Mas nossa, dá uma vontade tão grande de nem tentar e ficar aqui.

Mas daí as duas me olham nos olhos e dizem, muito a sério, que eu posso. Se elas acreditam, quem sou eu pra dizer que não?, mui

So little to say but so much time (editado pós confusão mental)

Ok, escrevi esse post e ficou uma meleca. Escrevi, escrevi e escrevi e não fiz sentido algum. Culpemos as 20 horas seguidas de The Sims 3 que tive nessa quinta-sexta. =P Agora eu mudei um pouco buscando ser mais inteligivel. Let’s hope so.

Faz praticamente exatamente um ano que uma pessoa me repreendeu que eu só sabia falar de homem. Depois disso adquiri um medo: às vezes eu realmente só falo de homem. Mas como assim? Eu não sei bem porque às vezes tenho esses ataques, que vem bem às vezes, ainda que tenha um turbilhão de outras coisas extremamente mais importantes me acontecendo. Mas enfim, respeitando a minha fase, e reconhecendo a minha semi-vergonha por ser assim:

Se eu te contar o que eu sonhei, você vai entender o meu sorriso? Porque pro meu incosciente ter trazido isso, só pode significar que lá dentro algo mudou. E que por mais que eu às vezes brinque de me confundir, sou eu mesma me avisando que estou brincando de clarear as coisas aqui.

No tal sonho, eu dormia na casa da Laila, exatamente onde eu dormia enquanto sonhava. Dai, durante o sono, invadiam o quarto pra fazer desenhos na parede e me dizerem coisas bonitas. Quando eu acordei, ainda dentro do sonho, eu quase sabia quem era. Ou o de quarta, ou o de quinta. =P

O de quarta-feira puxou conversa no elevador, coisa não usual pra quem desce só 3 andares. E foi andando comigo até em casa, do nada. Descobrimos amigos em comum e uma simpatia muito esquisita tendo em vista que, veja bem, na quarta eu sai de casa sem brincos! Não me leve a mal, mas brincos são esseciais pra se sair na rua e eu poder se considerada um ser humano. Mas o estranho mesmo é eu lembrar a cara dele, pra ele aparecer no sonho.

O de quinta-feira era pra ser e não foi. Tragédia de um destino anunciado. Ele que chegou tão bonito e arrumadinho, porque tava marcado já há dias, me olhando com aquele meio sorriso esperto… ficou pra depois, não por causa de nenhum de nós dois. Da vontade, só aquela conversa na esquina com promessas de concretização. Mas conhecendo o mundo e as coisas como são pra mim, o depois não vai ser nunca. =(

I’m changing my heart.

Leminski::

Por mais que eu ande
nada em mim imagina
o que é que menina
tão pequena está fazendo
numa cidade tão grande.

Foi tudo muito súbito
tudo muito susto
tudo assim como a resposta
fica quando chega a pergunta

esse meio assunto
que é quando a gente está longe
e continua junto

—-

depois de muito meditar
resolvi editar
tudo o que o coração
me ditar

Until it got so warm

A boa notícia é que eu não preciso mais buscar significados para cada gesto mínimo, tentando maximizar ou minimizar efeitos em mim. O efeito é um só, eu vou gostar de você, mais do que gosto de quase todo mundo, pra sempre, me parece. E é que você sai de casa só pra me ver e vai dormir na rodoviária porque o metrô fechou e a gente quase perde meu ônibus, que correria. As fotos ficam tão bonitinhas e por mais que metade do tempo você me tire e na outra metade eu faça pouco de você, quem olhasse ali naquele metrô verde e visse uma moça de óculos vestida toda de preto, meio de colegial, e um moço barbudo de boné xadrez, teria certeza que eles estavam felizes pra caramba de estarem ali.

Podemos culpar o álcool. Ou simplesmente, não é que existe amizade depois da paixão?

Será que eu escutei o que ninguém dizia?

Não acredito muito em horóscopo, só resolvo levar a sério quando é bom. Um exemplo, o de hoje:

“Conforme esperado, o Sol entra com tudo na sua vida cotidiana, revelando o tanto que as emoções mal digeridas fazem mal a sua saúde, e como o cuidado com a rotina traz segurança, bem estar. Arrume sua toca e transforme-a num lar; é medida de saúde preventiva. Aja.”

Ai, nem acredito, viu. ¬¬

=P

Mas em tarot, jogado pela Laila, PRINCIPALMENTE… impossível não achar que é tudo real e é mesmo o não-sei-o-que dizendo o que vai te acontecer. Aquele enforcado era tudo, hoje eu sei. Daí ontem a gente foi jogar, de novo, e eu não vou mentir não, heim, pedi só o sentimental… porque quando a gente é meio boba, feito eu, a maior preocupação nas horas bestas do dia é quando é que algo vai dar certo nessa vida de desamor.

Saiu uma tal de papisa dizendo de coisas não superadas e enquanto não sair isso de mim, diz que meu diabo não vem. Tá foda isso, foda. E hoje meu Personare ainda me manda algo do estilo. Seilá, heim. Move on dos brotheres, galere. Senão você não é brothere.

Ninguém escapa o peso de viver assim

Houve um tempo, relativamente recente, aliás, que eu me agarrei de tal maneira à frase “tudo passa”, que a coisa por si mesma perdeu o sentido. Era um personal moto, mas sem força, porque eu não via nada mudar em nada.

De repente, passou. E eu não vi. E fui olhar pra dentro, procurar e procurar, e não estava. E hoje ouço seu  nome e me falam de você e me questionam e tudo mais e não está mais lá. No final das contas tudo passa mesmo. Tem coisas que a gente só entende depois que termina.