Oh there’s a very pleasant side to you, I side I much prefer

Eu nunca ganhei nada na vida. Ou ao menos eu jurava isso. É que a realidade passa mais por eu não ser muito de concorrer na vida. Sou daquelas que assiste o arriscado lá de longe e vez ou outra só se atreve, e normalmente se ferra.

Ok. Mas daí uma louca me disse que passava a vida entrando em concursos e promoções e que ganhava o diabo a quatro. Fiquei inspirada e entrei em uma promoção pra ganhar uma camisa do Galo. Daí embaixo tinha “se inscreve também nessa daqui” e fui lá sem nem saber do que era. Tinha que escrever uma frase sobre Minas e a culinária daqui.

Escrevi.

Tem um mês. Ontem chegou um email dizendo que eu venci e perguntando porque eu não tinha ido buscar o prêmio. Vou buscar amanhã (hoje) de manhã. Ganhei algo na vida.

Um prêmio é um celular que eu não compraria pra mim mesma. Estamos todos muito felizes e muito contentes com essas felicidades idiotas que não significam nada além de alguma sorte.

Daí jurei que essa era uma boa semana. E de quebra convenci uma pessoa a votar na Marina, que grande vitória. Tô tomando tudo como bom. Vai ter show do Belle & Sebastian no Rio. Depois de perder Regina Spektor, decidi que nesse amor da minha vida eu vou. Resolvi minimizar brigas. Tô até me achando mais magra quando olho no espelho. Acho que é o sapato roxo que eu ganhei de presente. Faz tudo parecer melhor.  Hoje fiz tudo que tinha que fazer. Fui ver o jogo do Galo confiante que agora a gente vencia. Empatamos.

Se eu disser que foi fora de casa e que o Atlético provavelmente caíra (tristeza), parece melhor?

Não sei se meu objetivo nesse post foi parecer ainda mais loser ou mostrar que estou feliz.

Mas enfim, tamo ai, dançando.

ps: melhor frase entre as minhas amigas “tô triste mas eu tô dançando”.

Now that it’s war.

Minha mãe sempre acha que a gente briga às segunda-feiras. Na verdade, isso é meio que um fato. Mas ela fala que é às segundas-feiras porque eu tive psicologa. E aparentemente, minha psicóloga atrapalha a vida dela.

Mães não devem curtir muito as psicólogas. Principalmente a minha que vive me dizendo “Alice, faz as coisas por você antes de pensar nos outros, um pouco de egoísmo é bom”. Minha mãe deve detestar muito essas paradas. Porque a realidade é que as nossas mães são sempre um pouco culpadas, né?

Mas antes minha mãe achava que eu brigava com ela toda vez que fazia algo com o meu pai.  Era eu voltar, a gente entrar em algum atrito e… bingo! Vinha certeiro… “é só você passar um tempo com o seu pai que você volta louca”.  Agora eu trabalho com ele o que ela vai dizer?  Que eu sou louca o tempo todo?

Mais fácil culpar a psicóloga.

ps: eu briguei com ela hoje e como não é segunda, ela não me jogou na cara o fato. MUITO CONVENIENTE. PARABÉNS AI, MÃE. :P

ps2: eu acho que a minha psicóloga está me fazendo muitíssimo bem, thank you very much. Bora se tratar porque ser louca e insegura é SO LAST WEEK.

Love like yours will surely come my way

 

retardada que sou, ontem depois de escrever aqui no blog,  fiquei toda emo e mandei uma mensagem pros meus amigos de dc.

gente que há dois anos atrás eu disse good bye e voltei pros meus amigos de sempre – e pra sempre. a diferença entre os amigos que você faz quando você está fora de casa, é que você meio que sabe que quando aquela situação acabar, a probilidade de manter o contato, mesmo com internerd, é baixa. todo mundo é too busy com as suas damn lives pra passar a vida dando notícias e mantendo contato real. já os amigos de casa, eles tem todo mais um sentido de eterno, porque, afinal de contas, vocês tem um background em comum muito forte.

e a realidade maior é que eu queria mandar pro gringo lá, mas como ele já namora – essas latino-americanas malditas!!! – eu fiquei sem graça de mandar uma mensagem muito amorzinho. não que eu não tenha meant it pros meus outros amorzinhos de dc, mas né.

enfim, dois anos se passaram e meus amigos ainda são lindos. maioria me respondeu – e quem não respondeu tá morando no fucking haiti, então vou dar um desconto – e a resposta do meu s2 foi a mais fofinha.

 08 de setembro às 09:12
Awwwww I miss you too Alice! I think we developed one of those friendships where you can just pick up where you left off as if no time had passed.
Saudades!
 
Ok. Interrompemos a programação fofinha pra voltar pra loser life e a  ausência de amor. A boa notícia é que eu tô trabalhando.  A má notícia é que não é o sonho da minha vida… tipo, anos-luz longe disso.
* e esse post tem tanto inglês porque meu cérebro é retardado. beijos*
ah, ouçam essa música do buddy holly que eu garanto 2:09 de felicidade plena.

Wait, they don’t love you like I love you

eu ando viciada em amor. sério. eu voltei a ter 13 anos (ou nunca sai mesmo deles) porque só quero ler romances boboões ou livros que podem até não ser tão bobos, mas tenha amor. filme? comédia romântica.  só em séries eu mantenho um nível de normalidade.

sou eu não tendo amor e tentando suprir ele. acho. daí tava lá pensando, toda idiotinha, as always, a última grande cena de amor que eu já tinha tido. ok, não cena de amor. mas cena da vida que parece de filme, daquelas que tiran um “oín” ou “awwwn” da platéia. 2008. tipo, tem dois anos.

se eu procurar aqui no blog, capaz de achar o dia. talvez seja um post privado, porque eu tinha vergonha de ser tão mongol a olhos vistos (embora o fosse ao vivo).

ele me convidou pra almoçar com uma galerinha, eu disse que não porque ia comer com meus estagiários e ai ele chegou no restaurante que eu ia, pediu pra geral pular uma cadeira pra ele sentar do meu lado e quando eu perguntei se ele não ia almoçar com os amigos, ele me disse “era só uma desculpa pra ver você. vim aonde você estaria”.

ok, sentiram amorzinho, né? eu ainda sinto.

onde estão os outros brians da minha vida? :~

(a tt me perguntou se eu queria outro evangélico-só-depois-do-casamento na vida, e eu respondi “sem sexo eu já tô mesmo, tô topando ter pelo menos amor”. fim)

It’s getting late to face it all.

Mudei o layout e parei de vir no blog. Tipo, altos tempos (tipo, uma semana. Mas na minha realidade paralela parece altos tempos, ok?). O que eu ia vir contar aqui, não é mesmo?  Ando num grau de reflexão não exposta muito grande e poucos acontecimentos reais que merecem ser contados.  Dai vim aqui atualizar o blog roll e tomei um  baita sustão. Cadê meu sorriso?

Enfim, o layout antigo tinha uma foto comigo sorrido e esse é todo bobão e sem graça. Mas que fique assim. Virei bobona e sem graça. E preciso emagrecer. SÉRIO. Vi umas fotos do carnaval do ano passado e me achei magra. E tipo, eu não era. É que comparando com hoje… cri cri cri;

Bobona, sem graça e bolotinha.

SOCORRO.