28 meses

eu, postergando a vida, escolhi uma imagem de forma um tanto quanto aleatória a  cada mês no meu tumblr e vou postar aqui. tipo uma retrospectiva.

não. não quero trabalhar.

sim. acho meu tumblr lindo.

não me julguem.

aqui, agora. (julho, 2011)
ainda tô tentando entender (junho, 2011)
é, lucy! (maio, 2011)
just wait and see (abril, 2011)
se apaixonei? (março, 2011)
viu, aprendi! (fevereiro, 2011)
virei a lucy, cuidado. (janeiro, 2011)
você já leu o livro ~o segredo~? (dezembro, 2010)
agora sim. (novembro, 2010)
mamãe que me disse (outubro, 2010)
agora tudo faz mais sentindo! (setembro, 2010)
gente, que insuportavelmente positiva eu fui querendo ficar (agosto, 2010)
... (julho, 2010)
fui famosa e você nem sabe (junho, 2010)
auto-ajuda ou terapia que funciona? (maio, 2010)
tem luz no fim do túnel? (abril, 2010)
calma, vai ficar tudo bem (março, 2010)
tudo claro entre nós. (fevereiro, 2010)
diojdsjfpfosdjfojsef (janeiro, 2010)
eram dias difíceis para as alices. (dezembro, 2009)
ó as escolhas erradas da vida. (novembro, 2009)
é, audrey. não tava fácil não. (outubro, 2009)
virou eu. (setembro, 2009)
ufa, comecei a entender as coisas (agosto, 2009)
da arte de se auto-iludir. não, não podemos. (julho, 2009)
a foto mais bonita que eu tirei. (junho, 2009)
quem tava emo em maio? dica: eu. (maio, 2009)
mas agora eu lembro muito bem. (março, 2009)

each and everyday

O problema da academia é que ela tem espelhos demais. Por todos os lados. Você tá lá levando pesinhos e vê sua cara de esforço. Tá na esteira, e vê com o canto do olho você caminhando. Pros ególatras, aquilo ali é o paraíso. Ode ao corpo e ao esforço próprio. Mas para as pessoas que vivem às turras consigo mesmas, tipo MOI, NÃO BOM.

Eu reparo na largura da coxa. No tamanho da bunda. No tanto que eu sou tanajura (eu tenho 30 cm mais de quadril do que tenho de cintura… PROPORÇÃO, CADÊ).

Mas tudo bem, né. Porque eu virei a rainha dos objetivos e da força de vontade, então vou ficar lá, 3 vezes por semana (além do kickboxing nos outros dois), me olhando e avaliando. Bobeando, me pego numa necessidade de me auto-agradar e até me maqueio antes de ir pra academia. (socorr)

Daí o plano é caber (caber até eu tô cabendo, mas quero caber de forma em que fique bonito) no meu vestido do baile de formatura do terceiro ano para o baile da Lidinha. Pois é.

Uma ambição: ser a mais bonita da festa. :p

Eu não vou cantar romance

tô fazendo um esforço sobre-humano pro meu cérebro não ir no ponto em questão e se auto-martirizar um pouquinho. tô tentando não fazer tempestade em copo d’ água e não atrapalhar minha so called new self esteem com algo tão idiota. E não. Eu não sei porque tem inglês na última frase. MEU CÉREBRO SIMPLESMENTE FUNCIONA ASSIM.

mas cara, eu tô bem. eu juro. eu só acho que a vida tá menos bonita? que as coisas ficaram menos divertidas? que o amor passado dói ainda mesmo? que eu sou corajosa?

ih, cuidado. vou começar no eu sou foda ding ding ding de novo.

ao invés disso, vamos de um funk diferente que me apresentaram essa semana enquanto eu LOCA LOCA LOCA (leia-se bêbada) era musa da lambada e copiava os passos de Dirty Dance de um vídeo do youtube (não, não tô magra o suficiente pra ser carregada no alto com uma mão só).

Don´t be a drag, just be a queen

você sabe que, na verdade, tá tudo bem quando do seu mais recente drama, a primeira pessoa que você liga e a sua irmã e ela te diz “mas vai ficar tudo bem, lili”. e na verdade, você tem várias pessoas pra ligar e te dizerem que “tá tudo bem”. e todas elas estão tão chocadas quanto você e tentando entender porque o mundo dá tão errado às vezes porque, né.  mas mesmo assim, sabe-se que você não foi a única e nem a primeira e nem será a última por passar por coisas assim.

a verdade é que tá tudo bem quando seu mais recente drama consegue sair da sua cabeça com muitas doses de vodka e rum e você dança loucamente a noite inteira. ok, às vezes volta pra sua cabeça, mas você just keep it going, ou conta tudo pro próximo estranho na sua frente que te fala “alice, você é linda”. tá, talvez eu tivesse implorando às pessoas para atestar e criar alguma auto-estima. :p

ai fica tudo bem quando você acorda domingo com alguma ressaca e plena consciência que, ao menos, seus amigos são lindos e fofos e fodas. E PORRA, UNIVERSO, TÔ FAZENDO TUDO DIREITO, DÁ PRA ME DEIXAR SER FELIZ, CARALEO?

fim. :)

so why don’t you…

estou plenamente convencida que tenho dupla personalidade e as duas se chamam alice. por serem essencialmente parecidas, ninguém repara muito quando uma vai ou outra vem. pero que las hay, hay. tem gente que só pega uma alice. e ela é pior. ou melhor, vai saber lá o gosto das pessoas. tem gente que tem mais sorte, e vem só a primeira. aliás, esse blog é basicamente da primeira (I’m a loser baby). só que eu gosto dela.

já a outra é detestável. eu vou dormir agoniada quando percebo que fui ela. que falei das coisas que falei, todas com um sorriso no rosto e fingindo ser simpática. tem que caia nessa? porque tem gente que me faz ser assim? porque eu sou assim com gente legal e mais, COMO É QUE ESSA PESSOAS GOSTAM DE MIM SE EU SOU ASSIM COM ELAS?

uma vez uma amiga me viu na outra alice. me deu uma bronca. disse que eu não era assim (e não sou, é a outra), que era o pior de mim. desde então, me auto-martirizo toda vez que me pego em flagrante.

sometimes I suck.

e choooooora

um dia a raiva passa, me falaram.

se não passou, é porque eu não te esqueci ou simplesmente eu não esqueci o que me aconteceu? tava escutando uma amiga falar de profundidade diferentes de cicatrizes e de aceitar. mas cara, impossível eu aceitar uma cicatriz tão grande sabendo que você saiu, se muito, com um arranhão.

sabe o que me faria bem feliz? se você sumisse da minha vida como sumiu do meu facebook no dia em que eu te bloqueei. nem que eu seja masoquista e queira te encontrar, ele não me mostra.  você podia parar de aparecer em qualquer referência, em qualquer memória antiga, em qualquer passado meu.

porque eu sou muito mais feliz agora, sozinha, do que em qualquer momento que nós dois chegamos perto de sermos um.