But now that they´re older

Não seria absolutamente maravilhosa uma vida em cada uma cuida da sua? Não estou nem querendo uma vida sem  fofoca e nem de intriga, porque a vida há de ter graça.  Mas não seria incrível uma vida em que não de se exercesse o achar “certo e errado” na vida dos outros? Que elas só fizessem as coisas com seus pesos e medidas… dentro das próprias vidas e assim lidassem com suas próprias hipocrisias, ao invés de saírem disseminando-as por ai? Não seria foda uma vida em que as pessoas passassem mais tempo falando e discutindo a si mesmas do que de outras pessoas? E mais que isso, não seria fantástico que antes das pessoas julgarem, tentassem entender tudo aquilo da perspectiva de quem vive?? Em qual momento exatamente as pessoas se tornaram esses “adultos exemplares”, responsáveis e tão inseridos na sociedade exemplarmente, e começam a disseminar preconceitos e modelos corretos de vida? Quando foi que eles começaram a achar que entendiam o mundo sem nem sequer conseguir avaliar o que tem no espelho?

E o mais importante de tudo: tem como evitar que eu fique assim também quando eu “crescer”?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s