Com que frequência acontece o novo?

Lembra quando eu escutava Belle e Sebastien e Nouvelle Vague o dia todo? O mundo era melhor, não era? Eu ainda me sentia jovem. Eu não me sinto mais assim. Essa sensação maravilhosa de ser jovem, de quem tem muito tempo, que você ainda pode ser descoberta como grande prodígio (chances pequenas) e fez coisas demais para a idade que tem (chances grandes).

Eu, às vezes, sinto que fiz coisas de menos para idade que tenho (uma grande contradição frente ao que já fiz). Sinto uma pressão muito grande para fazer mais coisas (ser reconhecida mais vezes). Ter mais coisas (ganhar mais dinheiro). Conseguir mais coisas (ser mais independente). Mais (mais feliz). Mais (capaz). Mais (dentro do que esperam de mim). Eu não me sinto mais jovem.

Eu sei que a coisa em si é muito mais ligada à passagem do tempo do que a escutar as músicas certas, mas ao menos tentarei ativar um mecanismo de volta sentimental ao tempo para ver se, hoje, ao menos hoje, eu tenha mais esperança no amanhã. Pra ser bem honesta, hoje foi muito difícil acordar (talvez uma das medidas, além da música certa, seja dormir mais cedo). 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s