Eu disse pra me esperar, mas eu menti

Foi depois de uma festa de aniversário que eu virei uma noite conversando com você. Nessa época, há 8 anos atrás, eu tava bem muito apaixonada por um cara que não me queria. Eu te contava tudo, todas as sms, ligações e históricos de msn (êee 2006)  daquele amor que não era e nem ia ser, mas que eu insistia.

– Se ele me manda sms às 3 da madrugada todos os dias, é porque ele gosta de mim?

– Se ele posta coisas para mim no fotolog com frequência, é porque ele me quer?

Você dizia que sim para todo, mas na verdade ele só deveria ter insônia e um pouco de tédio.

Num furor desesperado, você me incentivou a me declarar antes de eu ir para o intercâmbio, e foi todo braços e abraços quando eu voltei com um fora . E daí foi você que veio, não tão desesperadamente, me ver antes de eu ir embora.  Eu, desajeitadamente como os meus 21 anos me permitiam ser, te dei um fora com uma carta de amor, muito das filhas da puta, de 6 páginas, pedindo para você me esperar. Um clássico sadismo: não gosto de você, mas gosto que você goste de mim.

Mais filha-da-putamente ainda eu fui quando, apesar dos e-mails frequentes que trocávamos, um dia te respondi dizendo que você não deveria me esperar, porque eu estava vivendo minha vida. E daí pode se dizer que tudo acabou entre nós.

Para todo o sempre, a partir daí, eu não importei mais para você, embora devo confessar que, a partir daí, eu sempre me lamentei um pouquinho (como sempre faço com todos os caras ótimos que deixo passar) de ter aberto mão, tão displicentemente, de quem se dispôs a me esperar.

Quando me aproximei das minhas –até hoje – amigas, você não curtiu. Eu era mais malvada com elas. Eu ficava bêbada com elas. Eu não era aquela Alice com elas. E daí meteu aquela clássica melhor frase de todas, “boa sorte nas suas escolhas”, enquanto se despedia de mim  antes de eu entrar no taxi – em que todas elas já estavam dentro.

Daí o contato foi acabando. Esvaindo. Apagando.

Você mudou de cidade atrás da namorada. Eu só achava, de muito longe e sem direito de me meter, ela malvada.

Você ficou noivo dela. E eu só achava, com um certo recalque, ela muito magra.

Daí eu fui pra cidade onde você mora. Fui pra lá mês passado. Mandei mensagens querendo te ver. Você me ignorou. Masoquista como me apresentei no primeiro parágrafo, uma vez na mesma cidade, regada à alguma cerveja, te pedi para me ver. Disse que tava ocupado.

Agora você se casou.

Então. Parabéns. E apesar de você não ter feito parte das minhas escolhas, e eu também não ter feito parte da suas, espero que você tenha muito boa sorte. Mesmo com ela tão malvada. E magra.

One thought on “Eu disse pra me esperar, mas eu menti

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s