COPA, COPA, COPA.

Aprendi a não abusar da hospitalidade dos outros.

Ou seja: não ficar tempo demais como hóspede na casa de ninguém. Quando me mudei para a Gringolândia, fui contando que poderia ficar uns dias (coisa que compreendi como uma semana, mais ou menos) na casa de uma uma amiga que havia feito no intercâmbio. No meu segundo dia lá, ela já começou a me enviar anúncio de quartos vagos. Na época, achei um absurdo. Tão ofendida fiquei que, após 5 dias na casa, me mudei de lá e não falei mais com ela enquanto estive nos EUA (sou dessas).

Eis que a vida me ensinou que a amiga que me expulsou apressadamente estava certa de uma maneira bem traumática: minha total bestie me convidou para passar o Natal na casa dela e compramos passagem para… 15 dias no subúrbio de Cleveland. Além de toda a neve, que nos obrigava a ficar em casa, 15 dias foram dias demais para ela, para mim, para a rotina da casa me ter, para eu ter saco com os amigos dela, enfim. Foi tão trágico que 3 dias antes da volta, um dia antes do ano novo, o pai dela me pagou uma passagem de avião para voltar para DC porque eu não parecia feliz (sou dessas também).

Lição aprendida, abracei para vida. Casa dos outros, só uma semana, máximo e já com incômodo. Até família.

Mas eis que as regras auto aprendidas não podem ser impostas a outrem, minha (na verdade, a da minha mãe, já que a casa é dela) foi completamente abusada por um venezuelano que ficou na minha casa longo um mês e meio. E o motivo ainda era foda: se apaixonou por uma belo-horizontina, veio confessar amores e ficou aqui, com uma cara de mal amado por uns quinze dias ainda pós o fora que levou (mas o anel que ele trouxe de presente, ela aceitou – tsc).

Ok, ok. Sobrevivi ao trauma. Na época a casa tinha até quarto sobrando.

SÓ QUE EIS-LO NOVAMENTE, AQUI…

…para a Copa do Mundo. Hoje o mesmo venezuelano avisou (tendo pedido hospedagem para a minha mãe durante a Copa – que topou achando que era coisa de um final de semana), que chega aqui, com amigo, dia 14 e só vai embora dia 10. Do outro mês. Issaí. E não tem quarto sobrando na casa.

Enfim, dias engraçados (ou irritadiços) virão. Esse blog tá mesmo precisando de mais humor e menos dor e desamor.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s