E se deixa ser amada

Ainda bem que existe o feminismo, que me ajudou, mais que anos de terapia, a ser feliz com o meu corpo. Hoje eu faço coisas que não fiz na minha adolescência, como usar shorts (porque tenho pernas muito grossas) ou usar biquíni (por ser gorda mesmo). Odiava praia e piscina, porque na verdade me odiava. E aprendi isso em casa (e no mundo, obviamente).

Na terapia, minha psicóloga me tentava ajudar a controlar a ansiedade (algo que preciso) para me estimular a emagrecer. Ela entendia como parte do papel dela tentar controlar minha compulsão, o que tá tudo bem, já que é de fato uma questão psicológica. Mas felicidade mesmo não vem de malhar e não comer. Vem de se amar.

Hoje eu tô vivendo de regime e com exercício físico porque tenho que emagrecer por causa do joelho. Mas estou perfeitamente (mentira, porque tenho momentos de fraqueza) feliz assim. Meu regime tem furos com pouca culpa, porque eu penso que tenho que emagrecer um pouco para ser mais saudável, para minhas roupas caberem melhor em mim, para controlar a pressão, para ter mais fôlego, pro meu joelho sarar, para um dia poder engravidar de boas. Eu não tenho que emagrecer para ser feliz. Estou tentando fazer meu regime não correr contra o tempo.

Qualquer grupo de meninas juntas começa a falar de peso com alguma preocupação, magras ou gordas. E em qualquer peso, meninas se preocupam em não serem felizes ou amadas porque não são perfeitas. É peito demais ou de menos, muita ou pouca bunda, perna fina ou perna grossa, braço grosso ou braço fino.  Isso sem considerar que tem gente que lida com diferenças reais, como deficiências ou outras características físicas fora do padrão.

A questão é que não é o mundo que vai te fazer feliz ou te amar se  você não decidir ser feliz e se amar. E se permitir a ser exatamente como você é.

Ainda bem que existe o feminismo, que me ensinou que eu, como mulher, estou no mundo para viver a minha vida, e não para satisfazer o que aprendi que o mundo espera de mim. O feminismo me ensinou a me deixar ser amada… por mim mesma.

One thought on “E se deixa ser amada

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s