You tried to break my heart?

Perspectiva é importante, né. Quem tinha me contado tudo abaixo foi minha mãe, com detalhes e requintes de crueldade. Falando com a minha irmã, teve mais contexto, menos novela e ainda assim alguma tristeza, ainda que menor.

Chorei umas lágrimas, porque essa coisa toda do abandono do meu pai ainda machuca, mesmo eu tendo 34 anos. Temas para serem discutidos infinitamente na terapia.

I’ve been hurt but I’ve never been hurt this much as you keep doing it

Querido diário,

Ontem minha irmã foi entregar convite do casamento dela na casa do meu pai. Lá, a minha meio irmã, que é uma criança de 6 ou 7 anos, começou a dizer que não queria minha irmã e seu noivo em sua casa, que não queria ir no casamento dela e que não gostava deles. Meu pai ou a mãe dela em nenhum momento a censuraram.

Eu sei racionalmente que a criança está escutando isso em casa em repetindo. Mas é absolutamente exaustivo esse ódio da madrasta e abandono do meu pai.

Não foi nem comigo, mas com a minha irmã. Mas me dói como se eu tivesse escutado. Uma criança malvada parece coisa de novela ou filme de terror.

Chorei feito um bebê.