Maybe sometimes we feel afraid, but it’s all right. The more you stay the same, the more they seem to change. Don’t you think it’s strange?

No meio dos todos os surtos que eu e a torcida do Flamengo, e todas as outras torcidas do Brasil, estamos sendo durante a pandemia, eu recebi um aumento.

Eu disse aumento? Não, menina! De PJ, eu vou virar CLT l, você pode acreditar nisso? Minha irmã disse que é sorte, mas, pra ser sincera eu trabalho para caramba, trabalho duro, levo a sério e surpresa, surpresa… durante a pandemia nunca trabalhei tanto na minha vida! Faz sentido, né. A pessoa que é responsável pela área social de um continente trabalharia tanto assim. Porém, no futuro de carteira assinada.

Claro que ainda estou mega feliz, considerando que há 40 dias eu tô em casa, e faz 40 dias que a única pessoa que eu vejo é o meu amor… E tamos bem.

No trabalho tá tudo bem, venho dando conta de tudo. Fiquei puta com a maioria dos amigos sem eles nem sabererem, me senti ofendida pelas pessoas porque elas falam mal sobre responsabilidade social (veja surto abaixo).

E no fim, ficar meio maluco ou pra baixo, tá tudo bem… É um tempo difícil… são tempos assustadores.

Bem, agora eu vou ter carteira assinada, décimo terceiro, férias, tudo… mantendo o mesmo na hora que eu tinha como PJ. Bastante incrível, não é. E eu tô boba até agora. Obrigada, universo. Obrigada, mundo.

Por favor pandemia, passe logo e não mate os meus.

Um post indignado – pule se você não quer ler palavrão.

Eu estou completamente furiosa com a maior parte das pessoas que eu conheço, que se acham "esquerda esclarecida". Estou furiosa com os meus amigos. Estou furiosa provavelmente com você que me lê.

Eu estou furiosa porque justamente nesse momento que a responsabilidade social das empresas é mais importante, sobretudo com um governo que não assume um papel real de combate a uma pandemia que hoje, em 14 de abril de 2020, já matou mais de 1500 brasileiros, ela tá sendo demonizada por tanta gente que eu conheço.

Eu estou exausta de gente falando senso comum e errado sobre doações e isenção de impostos, aferindo conclusões erradas sobre o funcionamento de instituições filantrópicas, falseando raciocínios sobre motivações e minimizando o que é o meu trabalho 365 dias por anos, há tantos anos. Eu sei que você alecrim dourado não está falando sobre mim. Só que eu trabalho pra uma megacorporação. Eu faço gestão do programa de responsabilidade social dela. Você está falando sobre mim sim.

Toda uma sociedade que não se engaja na realidade em trazer justiça social, que não doa, que não se voluntaria, que não faz o mínimo. Achando que tudo é pouco, mas especial é o alecrim dourado que finge que é marxista e prega contra o capitalismo no twitter, instagram e whatsapp. Eu tenho vontade de mandar mil palavrões com quem fala que filantropia é só sobre relações públicas e reputação, ignorando o impacto real e o milagre que todos os dias quem tá na ponta faz, multiplicando recursos escassos, otimizando impacto e gerando, todo dia, inovação e justiça social. Se existe cultura, esporte de base nesse país, é mantido por projeto social.

E me sinto especialmente impactada, e ferida, das pessoas que são minhas amigas e fazem isso. E eu tô aqui, toda rancorosa, fazendo uma listinha de pessoas que eu não tô a fim de manter amizade, porque na real talvez nem meu amigo seja, já que acha que o meu trabalho é falso.

Eu escrevo cada linha aqui ciente de um senso de imaturidade tremenda, mas só seu sei do que eu ralo e ralei e ralarei nesse meu trabalho, que é um propósito, de todos os dias com o meu trabalho promover justiça social.

Então pra você que tá me lendo aqui, fica meu grande vai tomar no cu.