A vida vem

Um rosto rejuvenecido

vai bater à porta dos meus amigos.

Aqui estou eu de novo

iluminado e ridículo.

Perdi minhas rugas nos nomes das plantas: não-me-deixes, não-me-esqueças, não-me-toques, não-te-esqueças-de-mim, não-me-soltes, miosótis.

Victor Heringer – um trecho de “Eu seja vozerio”

Anúncios

Queremos crescer (?)

Hoje é dia dos namorados que é uma data completamente sem importância no meu relacionamento. Outro dia desses fez um ano que o Monero mudou pro Brasil e a gente nem viu passar. Os anos passam (já vão ser 5) e a gente só vai vivendo. sempre pra frente, sempre presentes.

Ele com mais medo que eu, que tenho que sempre estar dando voltas para não assustar o menino. Porque homem cresce nessa sociedade achando que compromisso é ruim?

Dia desses eu pedi pra gente fazer uma união estável para eu poder fazer um plano de saúde melhor. Ele ficou meio bolado, primeiro porque ele sempre tem medo desses títulos, depois porque ele sempre vem com a disputa: mas você quer fazer algo assim por algo burocrático?

Meu amor, a vida e o bonito e o que significado é o que a gente vive, a burocracia é para eu poder ter com você o melhor plano do mundo e quem sabe lá na frente a gente ter um bebê (será que eu quero ter?) (será que eu quero ter com quem tem medo o tempo todo?).

No fim das contas, abri mão do plano topzeira porque afinal de contas, Deus me proteja de eu assinar um papel com homem obrigado.

No dia dos namorados não é dia de fazer pedido, mas eu faço. Meu amor, te amo. mas cresça comigo para a gente poder seguir em frente, juntos.

Blackbird on my shoulder

Eu, que não sei ser feliz direito, estranho umas épocas de calmaria. Tá tudo bem no trabalho, tá tudo bem no relacionamento, tá tudo bem com grana, tá tudo bem com tudo.

Mas não tá tudo bem aqui dentro, que fica buscando um motivo para dar aquela sofridinha. Que vasculha inseguranças, dores do passado, tentado achar um motivo para preocupar.

Eu não tenho nenhum problema de saúde mental ou emocional sem ser a pré-disposição para sofrer e dar choradinhas eventuais. Isso não me tira produtividade, não me faz ter pensamentos excessivamente negativos, nada disso.

Então eu conscientemente só penso: vamos marcar terapia porque equilíbrio emocional tá faltando nesse meu coração.